Por que as varizes podem causar mais incômodo no fim do ano?

Aumento nas temperaturas e até hábitos alimentares podem influenciar a saúde das pernas e sistema circulatório, entenda

Já reparou que nos últimos meses do ano, as dores, o cansaço nas pernas e as varizes parecem aumentar? Na realidade, isso não é uma simples coincidência. Para muitas pessoas, essa época pode ser um pouco mais preocupante neste quesito.

Guilherme Jonas, angiologista, explica que apesar das varizes e outras doenças relacionadas ao sistema circulatório aparecerem em qualquer época do ano – algo que exige sempre cuidados constantes – é nos meses mais quentes que elas podem dar a sensação de intensificar. “Temos alguns fatores relacionados a isso. O que acontece é que no fim de ano ocorrem algumas combinações que afetam a saúde vascular. Entre elas, as altas temperaturas fazem as veias se dilatarem, algo que dificulta o transporte de sangue pelo corpo”, esclarece.

Além disso, o período típico em que começam as férias e a preparação para as festas de fim de ano podem influenciar. “Às vezes, o indivíduo pode passar mais tempo sentado ou fazer menos exercícios devido às folgas ou férias. E nesse período a alimentação também pode ficar desregrada e exagerar no consumo de doces e gorduras prejudiciais a circulação sanguínea. Todo esse combo reflete na saúde geral do organismo”, acrescenta.

Guilherme também cita o fator estético que pode entrar mais em evidência. “No caso das varizes, elas não causam apenas um risco a saúde física. Elas também são um incômodo estético que podem ser realçados em épocas mais quentes, principalmente para quem frequenta praias ou clubes e usa roupas mais leves que mostram a região”, diz.

Portanto, a melhor forma de evitar esses reflexos é redobrando a atenção e cuidados do resto do ano.  “Exercício físico e alimentação balanceada é a melhor saída. Qualquer atividade física que estimule o sistema circulatório é o ideal”, ressalta.

Além disso, o angiologista alerta sobre a importância de procurar um especialista durante o surgimento de qualquer sintoma para evitar a evolução do quadro e iniciar o tratamento mais adequado ao paciente.

Fonte: Guilherme Jonas, médico angiologista e cirurgião vascular, especialista em cirurgia vascular pela SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular). CRMMG 44020, RQE 28561, 37143. Diretor técnico da clínica Angiomais em Belo Horizonte MG.

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
Abrir Whatsapp
Agendar Consulta