Para quem tem varizes, viagens longas podem precisar de cuidados

Não ficar muito tempo na mesma posição e uso de meias de compressão podem ajudar a combater o inchaço nas pernas

Início de ano é época de viagens. Seja de carro, ônibus, trem ou avião e quem sofre com as varizes enfrenta o dilema de ter que movimentar as pernas, mesmo quando as opções para isso são poucas. Mas dá para conseguir uma viagem confortável, sem que ao final do percurso, suas pernas estejam consumidas pela dor e pelo inchaço.

As varizes, veias que se dilatam e entortam,  são um incômodo para muita gente. As mais fininhas são chamadas microvarizes e secam com a aplicação de um medicamento via injeção. Já as maiores e mais evidentes, são as que causam o temido incômodo, como sensação de peso nas pernas, inchaço e dor. Para esse último tipo, muitas pessoas optam pela cirurgia no local. 

Mas quem convive com as varizes precisa arcar com alguns cuidados. No caso das viagens, uma medida comum, porém bastante eficaz são os usos das meias elásticas de compressão. “As meias elásticas comprimem os vasos sanguíneos e devem ser colocadas logo no início do trajeto e retiradas no final, para que a prevenção dure todo o percurso.” afirma o angiologista Guilherme Jonas. As meias são facilmente encontradas em farmácias e lojas de produtos hospitalares.

Dependendo do nível do problema, medicamentos que diminuem a retenção de líquidos e melhoram o retorno venoso podem ser uma boa opção. Entretanto, esses remédios fazem efeito quando já existe o seu uso regular. A dica aqui é para quem possui o costume de tomar o remédio, não esquecer de tomar no dia da viagem. 

Caminhar pode ser difícil, mas não impossível. Se for de carro ou ônibus e fazer uma ou mais paradas, aproveite sempre para descer e dar a famosa “esticada nas pernas”. Também é recomendado caminhar um pouco dentro do local para melhorar a circulação sanguínea, antes de seguir viagem, se possível. 

Em caso de trem ou avião, uma dica é afastar a poltrona para que as pernas fiquem em uma boa posição e tentar fazer movimentos quando possível. “Levantar para ir ao banheiro, caminhar entre as poltronas e tentar colocar as pernas pra cima em algum momento pode ajudar”, pontua o médico angiologista.

E para quem não possui esse problema, prevenir é a melhor solução. “Fazer exercícios físicos com regularidade, controlar o peso, sentar e deitar com as pernas para cima para garantir a circulação sanguínea são algumas indicações. Mesmo com a prevenção, caso veja um desses vasinhos em alguma região do corpo, procure um médico, o tratamento precoce é um bom aliado’’, finaliza Guilherme.

Fonte: Guilherme Jonas, médico angiologista e cirurgião vascular, especialista em cirurgia vascular pela SBACV (Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular). CRMMG 44020, RQE 28561, 37143. Diretor técnico da clínica Angiomais em Belo Horizonte MG.

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
Abrir Whatsapp
Agendar Consulta